Quem tem prótese de quadril pode andar de bicicleta?

Tempo de leitura: 3 minutos

Uma dúvida comum dos pacientes que vão ser submetidos à uma cirurgia de prótese de quadril é se eles podem andar de bicicleta. Explico a seguir.

Inicialmente, a resposta para essa pergunta é SIM! Andar de bicicleta é um ótimo exercício para o sistema cardiovascular sem a carga mecânica que uma atividade de corrida ou saltos pode causar. Dê preferência para terrenos planos  e com poucas pessoas ao redor, e esteja acompanhado no começo para vencer sua insegurança inicial e poder desfrutar deste hábito da maneira mais saudável possível.

Para você entender o porquê, veja alguns pontos que devem ser levado em conta.

O número de pessoas que são submetidas à cirurgia de artroplastia total  de quadril (ATQ) vem aumentando no mundo todo, inclusive no Brasil. 

Antigamente, as pessoas que realizavam este tipo de cirurgia, apenas queriam se livrar da dor, mas hoje ela querem mais. Os pacientes querem voltar a realizar suas atividades sociais, além de atividades de lazer e esportivas.

Agora, como equilibrar o desejo do paciente que deseja realizar estas atividades como andar de bicicleta, sem comprometer a segurança  e durabilidade da prótese de quadril?

Quem tem protese de quadril pode andar de bicicleta?
Andar de bicicleta é um desejo de vários pacientes que tem prótese de quadril

 

Quem tem prótese de quadril, pode fazer exercícios?

 

Hoje, o índice de durabilidade de uma prótese de quadril é de 97.5% em 10 anos, ou seja, com a evolução dos materiais da prótese de quadril que desgastam e soltam menos, o índice de solturas e quebras da prótese têm sido cada vez menor.

Os exercícios físicos regulares são muito importantes para:

  • Diminuir o risco de doenças cardiovasculares.
  • Diminuir mortalidade.
  • Diminuição de peso.
  • Melhora de autoestima e bem-estar.
  • Diminuição do risco de câncer.

Agora, como realizar atividades físicas benéficas para a saúde sem comprometer a durabilidade da prótese de quadril?

O segredo está em realizar atividades físicas que não causem impacto nos membros inferiores e consequentemente na prótese.

Existe um consenso de que atividades de alto impacto ou com alto risco de quedas como corridas e ski não são apropriadas para pessoas que foram submetidas à cirurgias de artroplastia total do quadril, entretanto atividades sem impacto como caminhadas e natação podem e devem ser realizadas.

Andar de bicicleta pode ser uma boa atividade cardiovascular, de lazer e com baixo risco para desgaste da prótese. O paciente que quiser andar de bicicleta deve usar uma bicicleta do tipo “comfort” e evitar “mountain bikes”e bicicletas do tipo “speed” pois estas flexionam demais o quadril do paciente.

Quem tem protese de quadril pode andar de bicicleta?
Andar de bicicleta é um dos exercícios permitidos para quem tem prótese de quadril

Cuidados para quem tem prótese de quadril e quer andar de bicicleta

Outro fator importante é que o paciente não tenha problemas neurológicos , vertigens, problemas motores ou qualquer problema de saúde que possa comprometer o equilíbrio e favorecer quedas. O ideal é que este paciente já saiba e que tenha o hábito de andar de bicicleta com tranquilidade e não que queria aprender logo após a cirurgia.

O importante é vencer a insegurança e ser o mais cuidadoso para não andar em locais cheios e em terrenos irregulares que podem favorecer uma queda, que é o principal risco de andar de bicicleta para quem tem uma prótese de quadril.

Referências:

https://www.arthroplastyjournal.org/article/S0883-5403(09)00189-2/fulltext

Q&A: recovering from a hip replacement

Comentários do Facebook

O Dr. Daniel é Oncologista Ortopédico  e Especialista em Cirurgia do Quadril, tendo grande reconhecimento nessa área pelo Brasil e mundo afora. Hoje ele é credenciado e realiza cirurgias em Hospitais famosos como: Albert Einstein, Hospital Sírio-Libanes, Oswaldo Cruz e Hospital Santa Catarina, sendo referência no tratamento de problemas oncológicos ortopédicos e também como Especialista em cirurgia do quadril.

Membro da Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia (SBOT)
Membro da Sociedade Brasileira de Oncologia Ortopédica
Membro da Sociedade Internacional de Salvamento de Membro (ISOLS)
Médico Assistente do Instituto do Câncer do Estado de São Paulo (ICESP)
Médico Consultor do Grupo de Oncologia Ortopédica do Hospital Mário Covas da Faculdade de Medicina do ABC
Membro da diretoria da Associação Brasileira de Oncologia Ortopédica