Quais os exames que detectam o câncer ósseo?

Tempo de leitura: 8 minutos

Muitas vezes, ao procurar o Especialista em Oncologia Ortopédica, ou especialista em tumor ósseo, o paciente pode sair do consultório com o diagnóstico de câncer ósseo. A história clínica, exame físico, exames de imagem e biópsia são as principais ferramentas para chegar ao diagnóstico do câncer ósseo e para avaliar seu tipo, gravidade, tamanho e outras características essenciais para o tratamento. Os sintomas podem ser variados,mas a dor de forte intensidade que não quer passar é o principal indicativo de que o paciente precisa fazer exames.

Especialista em oncologia ortopédica é o médico ideal para o diagnóstico

Ao sentir dores, protuberâncias, limitação de movimento e outros sinais importantes, o ideal é procurar por um especialista. Sendo assim, o ortopedista também especializado em oncologia ortopédica é o melhor médico para ser procurado nessa hora. Com experiência e conhecimento adequados, esse especialista irá fazer o diagnóstico e tratamento, além de informar o paciente das melhores opções de como lidar com a doença. Ter um câncer ósseo nem sempre é sinônimo de risco iminente de vida,e hoje em dia possuímos várias opções de tratamento.

A importância do diagnóstico adequado

Doenças como infecções ósseas (osteomielite) e tumores benignos podem gerar vários sintomas que podem se assemelhar em um primeiro momento com o câncer ósseo. Para encontrar o verdadeiro diagnóstico e evitar erros no tratamento, o ideal é fazer uma avaliação com exames de imagem variados (desde radiografia simples até ressonância magnética),exames de sangue, e nos casos duvidosos, pode ser necessária a realização de uma biópsia, facilitando assim o parecer do especialista.

Sem um diagnóstico correto, o paciente poderá passar por um tratamento inadequado para seu verdadeiro problema, podendo até passar por procedimentos desnecessários ou que até podem piorar a evolução da doença. Sendo assim, procurar por um médico experiente e que também tenha conhecimentos sobre tumores ósseos é extremamente importante.

As metástases ósseas, que são uma disseminação do câncer localizado em outro local, podem apresentar sintomas discretos inicialmente, podendo retardar a investigação e tratamento . Dessa forma, o diagnóstico correto do câncer também é essencial para conhecer seu estágio e gravidade.

Exames que detectam o câncer ósseo

Exames específicos são indicados para auxiliar o diagnóstico do câncer ósseo e por meio deles é possível diferenciar os tumores malignos de infecções e outras doenças. O câncer possui características únicas e que podem ser diagnosticadas apenas com os exames solicitados corretamente. Conheça quais são os exames mais pedidos por ortopedistas especialistas no tratamento do câncer ósseo (oncologistas ortopédicos).

Radiografia

Radiografia é um exame muito simples e fácil de ser realizado nos hospitais do país. Este é um exame excelente na avaliação do câncer ósseo. A maioria dos tumores ósseos podem ser vistos pela radiografia e possuem a característica de serem mal definidos e de destruírem os ossos rapidamente. Além disso, em grande parte dos casos, podemos ver na radiografia qual o tipo de tumor que está acometendo o osso.

Ressonância magnética

Por meio de ondas eletromagnéticas que formam as imagens, a ressonância é um exame de imagem recomendado para determinar tamanho e local de um tumor, assim como se existe o rompimento do osso e invasão de outras estruturas de partes moles. Na avaliação do câncer ósseo, este exame deve ser feito com contraste, sendo que o contraste é uma substância utilizada para delinear melhor certas estruturas do corpo e os tumores propriamente ditos, tornando o diagnóstico mais preciso.

O exame de ressonância magnética é muito preciso e é amplamente utilizada para visualizar os ossos dos membros, pelve e coluna.

Tomografia computadorizada

Utilizando radiação X, a tomografia computadorizada é um exame de imagem que permite visualizar pequenas fatias de uma região do corpo, por meio da rotação do tubo que emite os raios x em volta do paciente. Nesse exame o paciente fica deitado e a parte específica do corpo é examinada.

A tomografia é um exame muito importante para se detectar o tamanho do câncer e sua disseminação para outros órgãos como os pulmões. Esse exame também é muito usado para guiar o posicionamento de uma agulha durante a biópsia.

Cintilografia óssea

O exame de cintilografia óssea permite uma avaliação do funcionamento dos órgãos e não só sua morfologia. Para que esse exame seja feito, é aplicada uma injeção com um medicamento radioativo que não oferece perigos para o paciente nem aos demais. Esse material radioativo é atraído para a área onde existe tecido ósseo com doença.

Para conseguir captar essas imagens, é utilizado um sensor especial capaz de detectar a radioatividade e criar uma imagem do esqueleto. Quanto maior o metabolismo ósseo, mais ele irá absorver o radiofármaco. Sendo assim, esse exame consegue detectar até 5% de alteração no metabolismo ósseo, oferecendo ótima sensibilidade..

No exame de cintilografia óssea as regiões danificadas do osso aparecem como pontos escuros na imagem do esqueleto. Esses pequenos pontos escuros podem indicar a presença de metástases, assim como outras doenças como artrites, infecções e fraturas. Portanto, esse exame precisa ser feito em conjunto com outros exames como uma radiografia e ressonância, para avaliar melhor a lesão.

Biópsia

Depois dos exames de imagem constarem a suspeita de um tumor maligno nos ossos, a biópsia costuma ser indicada. A biópsia consiste na retirada de uma pequena amostra de do tumor ósseo que depois é levada para análise.

Exames de sangue

Exames de sangue podem ser pedidos para marcar a dosagem de marcadores tumorais que são substâncias produzidas pelo tumor em si. Essas dosagens são importantes para mostrar a presença de alguns tipos de tumores, seu desenvolvimento e a resposta ao tratamento.

Apesar desses marcadores indicarem a presença de tumores malignos, outras doenças podem causar alterações e nem sempre estão alterados nos casos de câncer ósseo.Sendo assim, apenas exames de sangue sozinhos não são indicados para diagnosticar com precisão a presença de câncer. Exames de sangue são indicados para complementar o diagnóstico.

Afinal, quais os sintomas de câncer nos ossos?

Qualquer exame para diagnosticar o câncer é motivado geralmente por sintomas ou alguns sinais no corpo do paciente. Afinal, quais sintomas devem ser investigados? Muitos pacientes acabam confundindo sintomas de tumores com infecções ou traumas e isso é prejudicial tanto no diagnóstico como até mesmo no tratamento dos tumores.

A dor persistente por mais de 4 semanas é o principal sintoma a ser investigado.

Assim como cada tipo de tumor ósseo possui suas características, os sintomas também mudam. O osteossarcoma, por exemplo, apresenta dor e inchaço no local. A dor não é constante mas piora de noite, e pode piorar durante a prática de exercícios físicos. Em alguns casos o paciente consegue sentir uma protuberância na região afetada, dependendo do local que o tumor está.

Infelizmente, dores e inchaços são sintomas que aparecem muito em crianças e adolescentes por causa das quedas e traumas por causa da forte atividade física e brincadeiras, sendo facilmente confundidos com os sintomas de câncer ósseo. Dessa forma, em pessoas dessa faixa etária geralmente têm seu diagnóstico retardado por causa disso. Já em adultos, esses sintomas servem de alerta para uma investigação mais rápida.

Já os pacientes que apresentam tumor de Ewing podem apresentar sintomas mais expressivos, como a febre, perda de peso, fraqueza, anemia, nódulo no local do tumor e dor. Em casos onde o tumor está próximo da coluna vertebral o paciente pode sentir dormência, paralisia e fraqueza em braços e pernas.

Descobri o tumor, e agora?

Após o tumor ser descoberto, o paciente necessita de orientações de seu especialista. As opções atuais de tratamento para câncer ósseo são a cirurgia com ressecção do tumor com uma margem ampla de segurança em volta dele para impedir a recidiva, quimioterapia, radioterapia e estes tratamentos associados.

Os tratamentos são feitos para retirar o tumor e impedir que metástases ocorram, assim como a amputação de membros como pernas e braços. Quanto mais cedo for o diagnóstico, menores são as chances do paciente desenvolver complicações graves como as metástases e a amputação de membros.

O tratamento do câncer precisa ser feito por um ortopedista oncológico que tenha experiência para tratar esse problema da melhor forma possível, com o intuito de retirar o câncer para sempre, sem um grande comprometimento dos membros do paciente. Infelizmente há casos onde o tumor ósseo espalha para outras partes do corpo, sendo necessário um tratamento mais incisivo e com mais cirurgias e a atuação desse médico em conjunto com outros especialistas é essencial para manter o paciente com saúde e com o tratamento correto.

Conte com o Dr. Daniel Rebolledo

Dr. Daniel Rebolledo é ortopedista e traumatologista especializado em Oncologia Ortopédica e Cirurgia do Quadril. Aproveite para conhecer mais sobre esse especialista e em como ele pode te ajudar no diagnóstico, tratamento e prognóstico do câncer ósseo, seja qual tipo ele for.

Comentários do Facebook

Dr. Daniel Rebolledo é filho de pais chilenos que imigraram para o Brasil na década de 70. Nascido em São Paulo , no bairro do Belenzinho no ano de 1978, cresceu no bairro da Vila Mariana. Estudou nos colégios Liceu Pasteur e Bandeirantes, onde decidiu que sua paixão seria a medicina. Em 1996 passou pelo vestibular da FUVEST , um dos mais difíceis e concorridos do Brasil , e entrou direto numa das melhores faculdades de medicina do país, a faculdade de Medicina da USP (Universidade de São Paulo).

Na faculdade de Medicina da USP foi muito participativo das atividades esportivas da atlética , fazendo partes dos times de futebol de campo e salão e participando de diversos torneios universitários. Além disso, ele sempre gostou das atividades acadêmicos, participando de diversos estágios extracurriculares como ligas de medicina e dissecções anatômicas. Fez estágios de instrumentação cirúrgica, onde conheceu e participou de inúmeros procedimentos cirúrgicos ainda como aluno de medicina. Ao fim da faculdade , optou se especializar em ortopedia e foi aprovado no concurso do Instituto de Ortopedia e Traumatologia do Hospital das Clínicas.