Tumor de Células Gigantes

O tumor de células gigantes é um tumor benigno relativamente raro  ( 20% dos tumores ósseos benignos). Apesar de ser considerado benigno, ele pode ser localmente agressivo, com alto índice de recidivas e apresentar metástases pulmonares em 2 a 5% dos casos.

O tumor de células gigantes acomete, na maior partes das vezes, adultos jovens (pacientes entre os 20 e 40 anos).

Normalmente o paciente sente uma dor progressiva e percebe um aumento de volume local, com limitação e rigidez para movimentação da articulação.

O local de acometimento mais comum é o joelho, nos ossos de fêmur distal e tíbia proximal, na região metaepifisária destes ossos, que é a região perto da articulação. Outros locais que podem ser acometidos são o  ombro (úmero proximal), o punho (rádio distal), ossos das mãos, coluna e bacia.

O principal tratamento do tumor de células gigantes é a cirurgia  ,mas existem outras opções de tratamento auxiliares com um novo medicamento chamado denosumab e embolização.

Quando diagnosticado de forma precoce, o resultado de tratamento pode ser excelente.

PerguntasFrequentes

Como é feito o diagnóstico do Tumor de Células Gigantes?

A suspeita do diagnóstico é feito pela história, exame físico e exames de imagem.

Em geral, a lesão é única, mas em um pequeno número de casos , pode haver mais de um tumor ao mesmo tempo. Em outros casos, o tumor pode atingir o pulmão, mas raramente estas lesões se desenvolvem.

Normalmente,a radiografia simples é um bom exame para auxílio no diagnóstico, mostrando uma lesão destrutiva  na extremidade do osso. Esta lesão é chamada de lítica e é excêntrica na extremidade do osso. Pode haver lesão da cortical do osso e invasão de partes moles.

 Caso o tumor de células gigantes seja suspeito, podemos completar a investigação com Tomografia Computadorizada do local e do tórax para avaliar a presença de lesões pulmonares . A Ressonância Magnética é um bom exame para verificar os limites da lesão e avaliar se o tumor já saiu do osso ou não, e se ele está perto de estruturas neurovasculares.

A confirmação do diagnóstico é feita por meio de uma biópsia, que é um procedimento onde é retirado um fragmento do tumor e enviado para análise  anatomopatológica com microscópio em laboratório. Nos casos de dúvida, pode ser realizado exame de imunohistoquímica.

Como é feito o tratamento do Tumor de Células Gigantes?

Cirurgia

O tratamento do tumor de células gigantes é cirúrgico. 

A técnica cirúrgica vai depender de alguns fatores como idade, osso acometido, e extensão da doença no local. 

Tumores menores, devem ser curetados minuciosamente. A cavidade criada no osso, deve ser tratada com substâncias que diminuem a chance de recidiva do tumor (adjuvantes) e depois preenchida com enxerto ósseo, substitutos sintéticos , ou cimento ortopédico (o mais utilizado). Em tumores maiores, pode ser necessário utilizar uma placa e parafusos para aumentar a estabilidade da reconstrução.

Em tumores maiores, a destruição óssea é maior, e pode não haver  a possibilidade de curetagem do tumor. Nestes casos pode ser necessária a ressecção de todo osso em conjunto com o tumor , e pode ser necessário o uso de próteses especiais (endopróteses não- convencionais) para reconstruir o osso que foi ressecado.

 

Recorrência local

O tumor de células gigantes pode recidivar localmente. A recidiva média varia de 20 a 40%, mas com técnicas modernas de curetagem, estes índices têm sido cada vez menores.

 

Medicamentos

Não existe nenhum medicamento que possa substituir a cirurgia no tratamento do tumor de células gigantes, mas existem alguns que podem auxiliar no controle da doença e facilitar a cirurgia.

O medicamento mais eficaz no tratamento deste tumor é o denosumab. Este é um  anticorpo monoclonal que se liga no receptor RANK da célula tumoral e têm mostrado ótimos resultados na diminuição do tumor e de seus sintomas antes da cirurgia.

Os medicamentos da classe dos bifosfonados, como ácido zoledrônico e pamidronato, também podem ser utilizados como adjuvantes no tratamento, mas sem uma eficácia comparada ao denosumab.

 

Embolização

Esta técnica consiste na introdução de um cateter por dentro dos vasos até o local do tumor. Por dentro deste cateter, podem ser colocadas esferas que vão interromper o fluxo de sangue para o tumor . Esta técnica é utilizada para diminuir  sangramento na cirurgia, ou para controlar o tumor em casos em que a cirurgia não pode ser realizada, principalmente nas regiões de bacia e coluna.

 

Quimioterapia e Radioterapia

Não existe nenhum protocolo de quimioterapia eficiente para o tumor de células gigantes. A radioterapia pode ser utilizada naqueles casos em que a cirurgia não pode ser realizada, principalmente em alguns casos da coluna e ossos da bacia.

 

Metástase no tumor de células gigantes

Apesar de ser considerado benigno, o tumor de células gigantes pode apresentar metástases pulmonares em até 3 % dos casos. Estas lesões não são tão agressivas como nos tumores malignos. 

O tratamento varia desde observação e acompanhamento de lesões menos agressivas, até uso de medicamentos, ablação com radiofrequência, ou cirurgia para remoção das lesões.

Tumor de Células Gigantes tem cura?

O prognóstico dos pacientes com tumor de células gigantes varia bastante. Ele depende do tamanho do tumor , da localização, da gravidade das lesões e da resposta ao tratamento.

Naqueles pacientes com lesões pequenas, que ainda não romperam o osso,  o prognóstico é muito bom e o tratamento pode resultar em uma vida sem dores ou limitações.

Naqueles casos em que as lesões são maiores e com mais complicações, o tratamento pode ser efetivo na melhora da função e dos sintomas, mas nem em todos os casos teremos a  função do membro excelente.

Dr. Daniel Rebolledo

  • Membro da Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia (SBOT)
  • Membro da Sociedade Internacional de Salvamento de Membro (ISOLS)
  • Médico Assistente do Instituto do Câncer do Estado de São Paulo (ICESP)
  • Médico Consultor do Grupo de Oncologia Ortopédica do Hospital Mário Covas da Faculdade de Medicina do ABC
  • Membro da Associação Brasileira de Oncologia Ortopédica (ABOO)
SAIBA MAIS
Dr. Daniel

Agende Sua Consulta

Para agendar sua consulta clique no link e siga as instruções. Ou, se preferir, Entre em contato por telefone em uma das unidades mais próximas a você em São Paulo ou Santo André.

São Paulo:

DWO Médicos Associados | Rua Haddock Lobo, 131, cj 1509 Cerqueira César, São Paulo / SP | (11) 4750-2209

 Whatsapp: (11) 93387.0542

Santo André:

Instituto Prata de Ortopedia | Rua das Paineiras, 161 Bairro Jardim – Santo André / SP | (11) 2677-5711 | (11) 97433.8167

últimas do blog

Copyright © Todos os direitos Reservados. | Dr. Daniel Rebolledo - Médico CRM-SP 12 3456

Criação de sites: Agência 3xceler - Criação de sites
LIGAR

Olá!

Gostaria de receber uma ligação?

NÓS TE LIGAMOS
Informe seu telefone que entraremos em contato o mais rápido possível.
Gostaria de agendar e receber uma chamada em outro horário?
Deixe sua mensagem! Entraremos em contato o mais rápido possível.
Ícone do Whatsapp branco em fundo verde